Review: Dexter “Goodbye Miami” (S08E10)

10 - Goodbye Miami.mkv_snapshot_49.22_[2013.09.10_00.31.06]

Sinopse: Dexter pede a ajuda da Dra. Vogel para trazer o Brain Surgeon para uma localização que o levará para a mesa do serial killer. Mais tarde, uma pessoa importante da vida de Dexter é assassinada em sua frente.

Por Alina Oliveira

Seguindo a passos lentos para o fim da série, aprendi a baixar minhas expectativas para não ficar reclamando eternamente do episódio. Então, seguindo essa lógica, esse foi um episódio bom, principalmente pelo final. Enquanto o episódio, tivemos uma evolução boa no plot do Daniel com a Dra. Vogel, conhecemos mais o personagem, e agora com apenas dois episódios faltando já era hora de isso acontecer mesmo.

Seguindo o exemplo dos episódios anteriores, o plot que mais me chamou atenção nesse episódio foi sem duvida o de Daniel, descobrimos mais sobre ele e sobre sua magoa com Vogel. Os dois conversando no começo do episódio é algo bastante tenso e só se agrava mais durante o episódio. Daniel se sente traído pela mãe por te-lo internado e inveja Dexter por ter tido a chance de conseguir ser um serial killer funcional, o que é compreensível de uma maneira bem distorcida, o que agrava mais ainda é o fato de Vogel ter virado uma especie de figura materna para Dexter.

Segundo plot mais explorado do episódio (e o segundo que mais me irrita) é o plano de fuga para Argentina de Hannah e Dexter, que dificilmente vai ter exito e seria um final bem meia boca para a série, não tem como eu não concordar inteiramente com Debra, é uma puta de uma ideia idiota. De qualquer maneira, é bonito ver Dexter apaixonado e tentando recomeçar a vida em outro lugar, e melhor ainda o tal agente começa a parar de procurar Hannah por Miami.

Ele avisa Batista de que vai se demitir, e essa cena foi muito fofa, o abraço de urso que Batista da em Dexter amoleceu meu coração (mas o do Dexter não). Dexter agora só precisa terminar com Daniel para finalmente conseguir seu final feliz com Hannah e Harrison na Argentina. Porem, Batista acaba contando ao agente que Dexter vai sair de Miami o que o deixa desconfiado, e depois Harrison faz uma traquinagem e Hannah tem que leva-lo ao hospital e acaba sendo reconhecida pela enfermeira. As consequências disso serão exploradas no próximo episódio, mas obviamente não vai ser tão fácil fugir do país assim.

Quinn e Jaime acabam (graças) e ele continua querendo a Debra (podre). Acaba aqui qualquer comentário sobre esse plot insuportável e irrelevante. Quinn só serviu mesmo para ajudar Debra a entender o lado de Dexter nesse plano de fuga dele, o que os aproximou mais como irmãos.

Vogel está muito frágil nesse episódio, ela já vinha se tornando fraca desde que Daniel surgiu na história e cada vez mais ela foi perdendo o controle da situação, que ela tinha no começo da temporada. Ela quer conseguir salvar o filho, da mesma maneira que fez com Dexter, a tornando mais e mais humana aos olhos da audiência, já que no começo da temporada ela parece controlar suas emoções muito bem e agora não tanto assim. Principalmente depois que Daniel mostra a ela onde mata suas vitimas, e como isso reflete em seus traumas, essa é uma das melhores cenas do episódio, nela conhecemos mais das motivações de Daniel e de onde vem tanta raiva.

Dexter consegue convencer Vogel de que Daniel não tem salvação e que é hora de mata-lo. Interessante é que no começo da cena em que Vogel vai pedir para Dexter deixar Daniel em paz, ela usa o argumento de que se Dexter e Hannah podem ser felizes juntos e ter um relacionamento que funcione, então Daniel pode ter salvação com os ensinamentos dela. Claro que ela esquece isso depois de ver como Daniel matou Zach.

Decididos que já é hora de matar Daniel, eles bolam um plano, entretanto não da certo e Daniel acaba na casa de Vogel para falar com ela. Essa é a melhor cena do episódio Vogel nervosa conversando pelo que seria a ultima vez com Daniel, já que Dexter iria mata-lo nessa noite, mas ele percebe a inquietação dela, a tensão que o olhar dos dois carrega nessa cena é incrível, a iluminação da cena serve para intensificar esse sentimento ainda mais, e então Dexter chega e Daniel mata Vogel na frente dele, memorável. Cena perfeita, e o que Daniel fala melhor ainda “A mãe escolheu o filho errado, de novo.” e corta a garganta dela.

O final com certeza salvou bastante o episódio, Dexter perdeu mais uma pessoa que ele prezava, e o pior é que se ele não tivesse hesitado em ir para ficar cuidando de Hannah ele poderia ter chegado a tempo na casa de Vogel. Espero que o próximos episódios sejam mais rápidos que esse já que tá acabando.

Nota do episódio: 8,0 (por causa da morte da Vogel)

Promo do próximo episódio:

Anúncios

2 Respostas

  1. Para mim, o final da série não tem mais jeito. Estão dando uma pincelada atrás de outra para chegar ao episódio 12 logo. Não teve qualquer continuação a investigação sobre a morte da Cassie, a Sgt. Miller deve ter sido drenada para dentro da terra, nada prosseguiu também com os crimes do Zach, o tal agente federal parece um completo idiota (péssima construção de personagem)… sim, a morte da Vogel foi bacana. Mas acho que ela não deveria morrer, pois penso que ela é a responsável por tudo que a série sempre foi. Era muito fácil de colocar a culpa nela e livrar o Dexter para ser feliz nos pampas argentinos. Não, foram pelo trivial mesmo. Agora, o que poderia salvar o final seria o Saxon matar a Deb e ter o Harrison em custódia para atrair o Dexter para um confronto final. Assim, poderia colocar um gancho para um possível futuro serial killer e colocar no Saxon o mesmo peso que teve o melhor vilão da série: Trinity. Mas não, não acho que será por aí. Vão dar um final besta para uma série primorosa (pelo menos em algumas temporadas). Negócio mesmo é seguir acompanhando os passos de Dexter através dos livros originais, pois lá é mais provável que ele não tenha um fim tão banal quanto esse (apesar de o último livro ser bem fraco também).

    1. Concordo com você, Edgar. A temporada final da série tinha um grande e foi desperdiçado com soluções medíocres para os problemas de roteiro. Não queria que o a Deb fosse assassinada, mas sim a Hannah, acho que seria uma perda grande, mas não tão grande como a Deb, e aí acabava esse papo de final feliz em outro país e a série voltaria a tratar sua audiência como pessoas adultas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: