Resenha – Correr ou Morrer – The Maze Runner Livro 1

Correr-ou-MorrerTítulo: Correr ou Morrer
Título Original: The Maze Runner
Autor(a): James Dasher
Editora: Vergara & Riba
Ano: 2010
Páginas:  426
Sinopse: Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.

Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar – chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.

Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.

Postado Por Alina Oliveira

Correr ou Morrer é o primeiro livro da série The Maze Runner escrita por James Dasher e publicada em 2009 nos Estados Unidos, a adaptação já está sendo feita pela FOX e a produção começou a ser filmada em maio desse ano. O livro recebeu ótimas criticas lá fora e tem uma grande legião de fãs, aqui no Brasil o livro foi lançado em 2010 pela editora Vergara & Riba, mas somente com a o anuncio do filme foi que ele conquistou alguma notoriedade.

É mais uma distopia para a crescente demanda por livros do gênero, essa tendencia vai nos trazer livros bons e livros ruins, esse, na minha opinião, é um dos bons.

O livro conta a história de um grupo de adolescentes que estão presos em um labirinto gigantesco sem lembranças de como chegaram lá ou do que era sua vida antes de tudo. Acompanhamos a história pelo olhar de Thomas, logo em que chega na Clareira em um elevador que trás uma vez por mês um novo integrante para o grupo, bastante desorientado, ele aos poucos vai descobrindo o que é o labirinto e como a pequena comunidade de garotos (somente do sexo masculino) que vivem lá se organizam. São grupos, cada um responsável por uma atividade fundamental para a vida na Clareira, um deles são os Corredores que ficam responsáveis pela exploração do Labirinto, produzir mapas para achar a saída. É por esse grupo que Thomas se sente instantaneamente atraído e decide que tem que conseguir fazer parte deles. No dia seguinte a chegada de Thomas, o elevador trás mais uma pessoa, porem, dessa vez é uma garota, todos na Clareira ficam confusos, Thomas sente que a conhece mas não consegue se lembrar exatamente. A garota trás consigo uma mensagem, ela é a ultima a ser mandada para o Labirinto, e que tudo iria mudar.

Essa é a premissa do livro que, sem duvida, começa bem devagar mas que aos poucos conquista o leitor. Para ser bem franca, Thomas não me conquistou logo de cara, para mim ele era um personagem bem fraco e que nunca iria conseguir carregar a história até o fim, porem ele melhora muito com o caminhar a história, começamos a conhece-lo melhor e ele nos conquista como personagem principal. Seus atos heroicos movidos pelo impulso são razoáveis sem serem forçados, o que não é algo fácil de se conseguir.

A dinâmica do livro deixa desejar um pouco, mas é compreensível, ele leva tanto tempo explicando como é a vida cotidiana na Clareira e sobre a divisão do trabalho que deixa o leitor meio preguiçoso de ler mais, tempo demais sem algo realmente interessante acontecer. Mas quando as coisas começam a funcionar não tem como abandonar a leitura, o livro fica bem rápido e você quer saber o próximo passo que Thomas vai tomar. Outra coisa interessante na narrativa é como as informações são liberadas aos poucos para o leitor, já é de se esperar que nós não saibamos de tudo já que Thomas chega no Labirinto sem memoria alguma, porem as informações sobre o porque de tudo aqui vão chegando ao poucos até que chegam de uma vez, deixando o leitor bastante inclinado a ler mais e mais até acabar o livro, ponto para James Dasher em conseguir prender a atenção tão bem no terceiro ato do livro. Do clímax ao final do livro tudo corre muito rápido, mas sem perder a coerência, mais incrível que tudo é o epílogo, foi uma escolha bem cinematográfica do autor, dar ao final um gancho tão grande como o que foi dado não é fácil, não consigo deixar de notar como isso se transmitirá no filme, vai ser impressionante.

Os personagens são um ponto alto do livro, alguns são terríveis e outros adoráveis. O mais adorável sem duvida e Chuck, desde o começo do lado de Thomas, não importando o quanto Thomas fosse antipático (e ele é antipático com frequência HAHA), e ainda ele tem um papel importante na fuga do Labirinto, nos, como Thomas, começamos a adorar Chuck pela sua simplicidade e personalidade brincalhona. Teresa é outra boa personagem, ela só marca presença no livro bem depois da metade, mas é bem centrada e faz Thomas bem feliz, ela provavelmente será bem mais explorada nos próximos livros. Minho e Newt são dois lideres, que se destacam dos outros garotos da Clareira, eles são muito inteligentes e ajudam Thomas a se estabilizar com a comunidade. Gally seria então o vilão da história, pelo menos um pequeno vilão já que o vilão é realmente o Labirinto e seus criadores (WICKED e o mundo lá fora), ele vai de encontro com Thomas desde a chegada dele na Clareira, e ele trás a tona muitas perguntas e algumas respostas durante todo o livro, e uma puta surpresa no final, ele realmente personifica o mal nesse livro, mesmo que seja de uma maneira bem ingenua.

O livro é muito bem organizado, a história tem um potencial imenso e o final é incrivelmente especulativo. A vontade de ler o próximo é muita, então recomento a vocês lerem, tenho a sensação de que o filme vai ficar ainda melhor que o livro, como aconteceu com jogos Vorazes (na minha opinião, claro), muito do livro se traduzirá muito bem para a telona, já outras coisas nem tanto, como a telepatia entre Thomas e Teresa. tenho fé de que vai ser um filme mais incrível do que o livro, e isso é alguma coisa.

Nota: 8/10

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: