Resenha – Millennium: A Menina Que Brincava Com Fogo – Livro 2

IAHSIAUHSIHTítulo: A Menina Que Brincava Com Fogo
Título Original: Flickan som lekte med elden
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2011
Páginas:  608
Sinopse: “Não há inocentes. Apenas diferentes graus de responsabilidade”, raciocina Lisbeth Salander, protagonista de A menina que brincava com fogo, de Stieg Larsson. O autor – um jornalista sueco especializado em desmascarar organizações de extrema direita em seu país – morreu sem presenciar o sucesso de sua premiada saga policial, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo.
Nada é o que parece ser nas histórias de Larsson. A própria Lisbeth parece uma garota frágil, mas é uma mulher determinada, ardilosa, perita tanto nas artimanhas da ciberpirataria quanto nas táticas do pugilismo, que sabe atacar com precisão quando se vê acuada. Mikael Blomkvist pode parecer apenas um jornalista em busca de um furo, mas no fundo é um investigador obstinado em desenterrar os crimes obscuros da sociedade sueca, sejam os cometidos por repórteres sensacionalistas, sejam os praticados por magistrados corruptos ou ainda aqueles perpetrados por lobos em pele de cordeiro. Um destes, o tutor de Lisbeth, foi mor-to a tiros. Na mesma noite, contudo, dois cordeiros também foram assassinados: um jornalista e uma criminologista que estavam prestes a denunciar uma rede de tráfico de mulheres. A arma usada nos crimes – um Colt 45 Magnum – não só foi a mesma como nela foram encontradas as impressões digitais de Lisbeth. Procurada por triplo homicídio, a moça desaparece. Mikael sabe que ela apenas está esperando o momento certo para provar que não é culpada e fazer justiça a seu modo. Mas ele também sabe que precisa encontrá-la o mais rapidamente possível, pois mesmo uma jovem tão talentosa pode deparar-se com inimigos muito mais formidáveis – e que, se a polícia ou os bandidos a acharem primeiro, o resultado pode ser funesto, para ambos os lados.
A menina que brincava com fogo segue as regras clássicas dos melhores thrillers, aplicando-as a elementos contemporâneos, como as novas tecnologias e os ícones da cultura pop. O resultado é um romance ao mesmo tempo movimentado e sangrento, intrigante e impossível de ser deixado de lado.

Postado Por: Lara Gutierrez & Yuri Hollanda 

O segundo volume da trilogia Millennium, “A Menina Que Brincava Com Fogo”, temos uma narrativa mais agitada e focada no aprofundamento da vida dos personagens. Finalmente conhecemos um pouco mais da misteriosa Lisbeth Salander, o que levou ela a ser o que é hoje, e também nos aprofundamos em Mikael Blonkvist, se mostrando mais uma vez um ótimo investigador.
Afirmo de antemão, se você, como eu, é apaixonado por ela, prepare-se para amá-la ainda mais. Além de vários problemas sérios do passado, que estão assolando sua vida e querendo vim á tona a qualquer custo, Salander se ver numa situação um tanto nova para ela; o fato de estar apaixonada por Mikael, sem ser correspondida. Então é quando nos deparamos com seu lado mais frágil, uma Lisbeth de coração partido. Que nos surpreende, já que até agora, o que conhecíamos era aquela punk, que parecia não ter coração nenhum. Mas ela continua sendo, de toda forma, muito mais asskickermotherfucker que muito marmanjo por aí. Um personagem feminino digno de todo o orgulho para o gênero. Uma verdadeira anti-heroína, com todos os seus defeitos, adorável na sua própria singularidade. Definitivamente, tenho Lisbeth como uma das melhores protagonistas garota da minha lista. Afinal, o que é melhor que uma assassina, louca, bissexual, e convenhamos, de coração mole?
Este segundo volume é totalmente voltado para os dramas de Lisbeth, tudo que ela passou e como isso afetou sua personalidade tão singular. E aviso, os acontecimentos desse volume ultrapassam os níveis de chocantes.
Felizmente, esse volume superou minhas expectativas. Foge um pouco do estilo do primeiro, que tem mais ação e sexo, esse é mais metódico e parado, porém extremamente necessário, para o granfinale da trilogia, Entendo que não gostar desse volume, porque não tem muita interessão entre Mikael & Lisbeth, que é um casal tão que todos torcem tanto para ver juntos. A química entre os dois, tanto nas páginas quanto na tela, é uma coisa de louco. Parece que eles estão pegando fogo. Eles são, acima de tudo isso, um “team”, eles simplesmente se completam. Sexy e cool.
Stieg Larsson surpreende consecutivamente com a agilidade e rapidez que apresenta os fatos, e assim te faz engolir 100 páginas sem nem perceber.
Millennium é com toda a certeza uma das melhores séries policiais. É um trabalho incrível o aprofundamento dos personagens, e como a escrita te envolve. Realmente, muito, muito bom. Um livro necessário.

Nota: 9/10

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: